O carnaval na casa dos Trovadores Urbanos começará no primeiro dia do mês de fevereiro, na Seresta de Sexta dedicada a essa grande festa nacional. Ao som das marchinhas tradicionais, muita alegria espera os participantes desses deliciosos encontros musicais. Local: Casa dos Trovadores – R. Aimberê, 651, Perdizes. Datas: 01, 08, 15 e 22/02 e 01/03.

14 de fevereiro de 2019 17:10

De 01/02 a 1/03, o carnaval das marchinhas invadirá a casa dos Trovadores Urbanos, todas as sextas-feiras, encantando o público com os clássicos inesquecíveis da maior festa do planeta e que, na casa dos Trovadores Urbanos é carregada de alegria e muito afeto, relembrando também os carnavais do passado.

O carnaval esse ano acontecerá no início do mês de março, mas a festa começará com antecedência na casa dos Trovadores Urbanos. Afinal, o carnaval das Marchinhas vem para preparar o clima da maior festa do planeta, recordando as deliciosas e divertidas marchinhas de carnaval que encantam o país desde o início do século XX.

A história das marchinhas carnavalescas é muita rica e interessante. A primeira marchinha, composição de 1899 de Chiquinha Gonzaga, a famosa “Ó Abre Alas”, foi feita para o cordão carnavalesco Rosa de Ouro.  As marchinhas brasileiras descendem diretamente das marchas populares portuguesas e compartilham com elas o compasso (binário) de estilo  militar, porém de modo mais acelerado. São canções com melodias simples, letras com duplo sentido, um tanto “picantes”. O famoso compositor Zé Kéti ajudou a consagrar as marchinhas, que passaram a ser produzidas com regularidade no Rio de janeiro a partir de 1920.

Nas décadas de 30, 40, 50 e 60, as marchinhas viveram momentos de auge nas vozes de artistas  que se consagraram neste estilo, como Braguinha, Carmen Miranda, João Roberto Kelly, Lamartine Babo, Manoel Ferreira, Dalva de Oliveira e muitos outros. As marchinhas eram escolhidas em concorridos concursos no bairro da Penha, no Rio de Janeiro, e caíam nas graças do povo através da gravação em discos (que já acontecia em 1927), na divulgação através do Rádio e através dos blocos do carnaval de rua do Rio.

A simplicidade das marchinhas foi o que mais permitiu que ela fizesse sucesso entre o povo, pois as letras eram fáceis de decorar, assim como a melodia. Elas retratavam exatamente a época em que fizeram tanto sucesso. Os temas eram diversos e  as marchinhas falam sobre sexualidade, cidades brasileiras entre outras coisas. Sendo assim, não havia tema proibido e o – então hoje – politicamente correto passava longe desse estilo musical que até hoje faz parte do nosso carnaval.

São muitas as marchinhas que serão cantadas nas Serestas de Sexta de carnaval durante o mês de fevereiro e em primeiro de março na casa dos Trovadores Urbanos: a inesquecível “Oh Abre Alas”, Bandeira Branca, Pierrô Apaixonado, Aurora, entre muitas outras.

As Serestas de Sexta de carnaval acontecerão nos dias 1, 8, 15 e 22 de fevereiro e 1 de março,  sextas-feiras, na Casa dos Trovadores Urbanos, na rua Aimberê, 651, no bairro de Perdizes. Os portões da casa serão abertos às 19 horas e o carnaval acontecerá das 20h às 21h30. Enquanto aguardam pela seresta de carnaval, o público poderá conhecer a sala Silvio Caldas e o Muro do Afeto, importantes atividades dos Trovadores Urbanos, que também são os responsáveis pelo Instituto Trovadores Urbanos,  promovendo trabalhos educativos em diversas cidades da grande São Paulo, com o apoio de grandes empresas.

As Serestas de Sexta das marchinhas de carnaval são encontros gratuitos. É só chegar e participar.

 

Compartilhe

Notícias Recentes
Agenda
Siga os Trovadores!
Curta os Trovadores!